terça-feira, 19 de novembro de 2013

Tudo tem uma explicação

  • A única coisa que eu posso fazer nesse momento é pedir desculpas, mesmo, desculpa por ter parado de postar e de não ter dado nenhuma explicação, não sei se alguém ainda se importa mas mesmo assim eu vou explicar o motivo de eu ter deixado de lado o meu blog, e essa web que eu tanto amava continuar pra vcs, eu tbm sou leitora e sei o quanto é frustrante não saber o final da web que você tanto gosta, mas eu tive motivos pra não escrever o final, no começo do ano meu namorado me traiu, lógico que eu terminei com ele assim que eu soube, mas eu fiquei muito mal, eu sei que voces podem achar que isso é futil demais, e eu tbm acho, então eu voltei a escrever o mais rápido possível, eu não sei se vcs leram o capítulo 13 da terceira temporada, aonde a Roberta descobre que a mãe dela tem Câncer, então, minha mãe descobriu que tinha câncer no começo do ano, cancer de mama,  mas ela não descobriu a tempo, não tinha mais cura, eu perdi ela poucos meses depois da descoberta do câncer, perto do meu aniversário de 16 anos,fiquei muito triste,não tinha mais ânimo nem vontade de fazer nada, pois minhae era tudo pra mim, sempre me protegeu na horas difíceis, e quando era ela quem precisava de proteção eu não tinha como fazer nada por ela, é uma dor indescrirívem e que nunca vai passar, bem eu não estou aqui pra me fazer de vítima, nem pra dizer que o que eu fiz foi certo, eu só quero que vocês saibam que eu não simplesmente dei as costas para a web ou para os meus leitores, pois eu amava escrever aqui. Eu entendo se vocês mandarem eu longe e quiserem que eu abandone de vez o blog ou até excluirem ele, já que eu percebi que varias pessoas querem continuar a web no meu lugar, mas eu amo essa web ainda e gostaria muito de terminar a web, se alguém ainda quiser saber o final verdadeiro.. E novamente eu peço desculpas por não ter explicado antes o que estava acontecendo.

domingo, 16 de setembro de 2012

Everityme We Touch ' 3 Temp. : Cap.21

   Diego saiu de mim e fechou as torneiras,o banheiro já estava alagado, Diego riu um pouco e sentou de frente pra mim, eu me levantei e sentei em seu colo.

- O banheiro parece uma lagoa. - eu falei encostando a cabeça no peito dele,seu coração estava acelerado.
- Vamos secar? - ele perguntou me abraçando, a água da banheira já estava esfriando.
- Ah não...quando a gente chegar você pede pra limparem,eu to muito cansada. - eu falei manhosa.
- Ta cansada de que amor? - ele falou passando os dedos nas minhas costas. - quem fez o trabalho fui eu.
- Mas eu to cansada. - falei rindo
- Então tá... - eu fechei os olhos,suspirando.

   Tomara que a Carla tenha exagerado no telefone pra mim,eu não quero perder a minha mãe ,mesmo que ela não tenha sido tão presente na minha adolescência,eu a amo muito.

- No que você está pensando Roh? - Diego perguntou.
- Na minha mãe. - eu falei suspirando de novo. - E você meu amor,em que está pensando? 
- Em você! - ele falou,me fazendo levantar a cabeça,assim encarando seus olhos,que ja estavam em mim.
- Em mim? - perguntei sorrindo.
- Na verdade,eu to lembrando... - Ele falou fechando os olhos. - Lembrando como você é linda grávida,linda e insaciável, me arrepio só de lembrar.
- E vai ficar só na lembrança mesmo,Diego Maldonado. - falei.
- Como assim amor? - ele falou se fazendo de desentendido.
- Não com essa Diego,eu sei muito bem aonde você quer chegar. - falei, Diego me olhava com atenção. - Eu não vou engravidar outra vez.
- Por que não amor. - ele falou me puxando pro colo dele,beijando meu pescoço enquanto apertava minha bunda.
- Diego para. - falei com os olhos fechados. - Serio Diego,você não vai me convencer assim. - eu falei e ele parou.
- Como tu é chata. - ele falou,com a cara fechada.
- O Bebê ficou emburradinho foi? - perguntei fazendo biquinho,quase rindo.
- Não zoa Roberta,eu não to de brincadeira. - ele falou olhando pro teto.
- Diego pode parando com essa,eu não quero engravidar,e pronto,deixa de ser egoísta. - falei me levantando e saindo da banheiro,Diego só me olhava,enquanto eu vestia o roupão e saia do banheiro,fechando a porta.

   Eu abri a porta e entrei no meu quarto,sentando na cama,o que será que deu no Diego agora pra querer ter outro filho,se bem que não importa,eu não vou engravidar,eu não quero engravidar de novo.
   Me levantei da cama e peguei uma escova que estava jogada no chão,daqui a pouco a gente chega em casa e eu não posso sair desse jeito. Penteei os cabelos e fiz uma trança colada para o lado,minhas roupas já estavam ali no quarto,mas ainda estavam nas malas,eu abri as malas e peguei um vestidinho rosa,simples e separei um sapato de salto,branco com detalhes de renda.
Eu tirei o roupão e vesti o vestido,meu corpo já estava seco,coloquei meu salto e me olhei no espelho.

- Linda e poderosa. - falei em voz alta,como eu sou convencida.
- Como sempre. - Diego falou me olhando da porta,apenas com uma toalha cobrindo da cintura até as coxas,vou confessar,que ele estava muito sexy.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Everityme We Touch ' 3 Temp. : Cap.20


     POV ROBERTA.

- Eu preciso de um banho. - falei limpando o suor da minha testa com a mão.
- Então vamos - ele me pegou no colo,eu me assustei.

   Diego me levou até um banheiro,que era perfeito,ele me largou no chão e ligou as torneiras da banheira,e ela começou a encher,eu fui pra perto da banheira e olhei pelas pequenas janelinhas que tinham atrás,a vista era incrível, tudo era pequenininho aqui de cima.o céu estava claro, apenas com algumas nuvens.

- É incrível. - falei entrando na banheira,a água estava morna.Diego espalhou sais de banho pela banheira,entrou também se deitando ao meu lado,nós ficamos deitados de conchinha,tão romântico.
- Você que é! - ele beijou meu pescoço.

   Eu amo ele assim,carinhoso,romântico,eu amo ele de qualquer jeito na verdade,eu não consigo imaginar mais minha vida sem ele,sem o sorriso dele,sem o beijo dele,sem o corpo dele colado no meu,eu vivo por ele,eu vivo pela gente.
   Eu me virei,para poder beijar sua boca,Diego retribuiu,entrelaçando os dedos no meu cabelo,nossas línguas estavam calmas,movendo-se em uma perfeita sincronia,era como se tivéssemos ensaiado antes, as mãos do Diego passeavam pelo meu corpo,seu membro já estava duro,e eu desejava ele dentro de mim,me fazendo gemer de prazer,o prazer que só o o meu Diego pode me dar.

- Eu te amo. - resumi em três palavras.

   Diego sorriu e ficou por cima de mim,beijando meu pescoço,ele abriu um pouco minhas pernas e penetrou,eu gemi em seu ouvido,e agarrei seu pescoço,ele acelerou o ritmo do vai-e-vem, me fazendo gemer mais alto,eu amo sexo na banheira,mesmo que as vezes seja meio desconfortável,Diego bombeou mai forte,metendo até o talo,ele não parava de meter,eu enlouquecia com mo gemido abafado dele no meu pescoço, eu entrelacei a pernas na cintura dele,fazendo ele meter mais fundo em mim, se é que é possível.
   A banheira começou a transbordar,molhando o banheiro inteiro,mas Diego não parou de meter,ele estava quase gozando,eu sabia disso.

- Isso Dih, não para. - falei gemido, ele mordeu meu lábio inferior,gozando,eu senti o jato quente da porra dele dentro de mim e cheguei ao orgasmo.

sábado, 4 de agosto de 2012

Everityme We Touch ' 3 Temp. : Cap.19

   POV ROBERTA


   Eu empinei minha bundinha pra ele,Diego tirou minha calcinha e beijou minha bunda enquanto passava os dedos na minha intimidade,eu gemia baixinho,mordendo os lábios.

- Mete Dih. - falei me ajeitando de quatro,olhando pra ele,que sorriu. - Mete no meu cuzinho. - eu rebolei na cara dele.

   Ele encaixou o pau dele na minha bunda,e enfiou até o talo.

- Rebola Roberta. - ele mandou,e eu obedeci rebolando gostoso pra ele,Diego gemia meu nome. -  Assim Roberta,isso... - eu joguei a cabeça pra trás gemendo,aquilo tava bom,muito bom.

   Diego agarrou minha cintura com as mãos e começou a ditar meus movimentos,ele metia fundo,e com uma força exagerada,doía,mas o prazer era maior,ele não parava de gemer meu nome,aquilo tava me deixando louca,Diego gozou dentro de mim,ele tirou o pau de dentro de mim,a porra dele escorria pelas minhas pernas,ele passou dois dedos no meu cú e e enfiou na minha boca,eu gostava do gosto do gozo dele.

- Que delícia. - falei lambendo os lábios.
- Delícia é você. - ele falou me beijando.

   Eu fiz ele sentar no sofá e subi por cima dele,roçando minha intimidade no pau dele,eu amo fazer isso,eu mordia os lábios olhando nos olhos do meu homem,em poucos segundos o Dj do Diego levantou,e eu enfiei ele na minha bucetinha,rebolando no pau dele. Eu subia e descia no colo do Diego,sua mão apertavam com força minha cintura enquanto ele gemia alto,e eu continuava quicando no pau dele,não sei da onde que eu tirava forças pra quicar daquele jeito,mas eu continuei nunca diminuindo o ritmo,eu estava suando,meus cabelos grudavam no meu rosto,Diego apertou meus seios e gozamos juntos,chegamos ao orgasmo,eu me deixei cair sobre o peito dele,ofegante,deixei seu pau dentro de mim.

- Um dia você me mata Roberta. - ele falou,sem fôlego,eu não respondi apenas sorri. - Ainda bem que a Cabine do piloto é a prova de som. - ele falou tirando os cabelos do meu rosto.
- E desde quando que isso funciona com a gente.
- Tem razão. - ele falou.

  Eu abracei ele,ele também estava suado,suas mãos estavam alisando minhas costas,me dando arrepios,eu beijei seu peitoral.

- Eu quero ficar com você pra sempre Diego. - falei olhando nos olhos dele.
- Nós vamos ficar juntos pra sempre. - ele me puxou pra cima,eu deitei a cabeça no ombro dele.
- E se um de nós morrer Diego? - eu falei baixinho. - A morte é uma consequência da vida,e eu não quero morrer antes de você,eu não suportaria. - falei com os olhos cheios de lágrimas.
- Nós vamos morrer juntinhos Roberta,abraçadinhos. - ele falou,me fazendo sorrir.
- E bem velhinhos. - falei beijando ele.

POV DIEGO


   Roberta começou a rebolar do nada,meu pau ainda estava dentro dela,e com a minha deusa rebolando manhosa daquele jeito ele logo acordou,e ela tirou ele de dentro dela,soltando um gemido.

- O que você tá fazendo? - perguntei quando ela saiu do meu colo.

   Ela me chamou com o dedo,e se ajoelhou na frente do sofá,eu sorri indo até ela,eu já sabia o que ela queria. Eu parei na frente dela, e ela pegou no meu pau, massageando ele e lambendo a cabecinha,ela adora brincar com Dj, e eu adoro quando ela brinca assim. Roberta enfiou metade do meu pau na boca e tirou fazendo pressão,eu tirei o cabelo dela de seu rosto,ela sorriu,vidrada no meu membro,e enfiou ele inteirinho na boca,ô garganta profunda, ela começou um vai e vem com aquela boquinha linda,ela tava com uma mão na minha cintura,e com a outra ela começou a se masturbar,enfiando dois dedos na buceta dela,com aquil eu não aguentei e comecei  a fuder a boca dela,bombando meu pau com força,puxando mais ainda os cabelos dela,ela cravou as unhas na minha cintura gozando,eu gozei na boca dela,ela limpou meu pau engolindo meu gozo,ela levantou e me beijou.

- Eu preciso de um banho. - ela falou limpando o suor.
- então vamos. - falei pegando ela no colo e indo rumo ao banheiro.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Everytime We Touch ' 3 Temp. : Cap.18

     POV ROBERTA.


   Diego me deu o celular e eu disquei meu número,e advinha quem atendeu.

- Alô - Falei me escorando no peito do Diego,ele me abraçou.
- Sabia que você iria ligar. - era o Danilo falando.
- É lógico que eu iria ligar para  meu celular Danilo. - falei,deixando Diego ficou tenso. - O que tu ta fazendo com ele?
- Você esqueceu em cima do banco,e eu peguei para devolver para você linda. - eu tenho quase certeza que eu tinha guardado meu celular na minha bolsa,não deixei em cima do banco. - Eu vi você brigar com o teu marido - ele falou, Diego me olhava,sem expressão.
- Eu não briguei com o Diego - falei apertando a mão do meu marido. - Mas voltando ao assunto,você pode devolver meu celular? - eu já estava ficando sem paciência com esse cara.
- O celular é seu,vem aqui pegar. - ele falou meio que rindo.
- Tá,mas aonde você está? - perguntei.
- Eu estou na Lanchonete. - ele respondeu.
- Qual delas? - perguntei me desencostando do Diego,ele me encarava meio sério.

   Danilo me explicou em qual lanchonete ele estava,a lanchonete não era muito distante, eu e Diego fomos até lá.

- Bem,vamos entrar. - eu falei dando um selinho no Diego,ele sorriu.

   Estávamos na frente na lanchonete,então entramos,de mão dadas, Danilo estava em uma mesa lá no fundo,quando nos viu ele sorriu,me olhando,fomos até ele.

- Oi - falei parando na frente da mesa em que Danilo estava sentado, ele estava tomando uma xícara de café.
- Oi - ele nos cumprimentou,sorrindo simpático,Diego apenas acenou,ele estava - Não querem sentar?
- Não,estamos atrasados. - eu menti,Diego me olhou. - Eu só preciso do meu celular.
- É claro. - ele falou botando a mão no bolso e me entregando o celular sempre olhando nos meus olhos,eu peguei e guardei na bolsa.
- Então tchau, - Diego falou sorrindo,é lógico que ele estava com ciúmes,mas pelo menos foi simpático.
- Tchau - Danilo falou também sorrindo para Diego,tava na cara que um não gostava do outro.

   Demos as costas pro Danilo e começamos a caminhar,eu virei pra trás e Danilo sorriu,e imitando um telefone cm as mãos ele pediu pra mim ligar pra ele,eu virei pra frente,e saímos da lanchonete,eu sorri,mordendo a orelha do Diego.

- Agora você pode me entregar o meu presente surpresa né. - falei fazendo ele sorrir,sua mão passou da minha cintura para minha bunda,eu mordi o lábio.
- Ta bom minha princesa,vamos lá. - ele falou e me levou até lá.

     POV DIEGO.

- Diego isso é meu. - Roberta falou pulando de alegria.
- Todinho seu. - falei,e ela soltou minha mão,correndo para perto do jatinho dela.

   Isso mesmo,já que a Roberta não queria ir de avião eu comprei um jatinho particular pra ela

banheiro do jatinho
Quarto DiRo
                            

                                      
   Nós entramos no jatinho,e pedi para fecharem a porta,os olhos da Roberta brilharam, esse foi mesmo um ótimo presente pra ela.

- É tão lindo Diego. - ela falou ditando no sofá verde,me dando uma ótima visão da bunda arrebitada dela,eu me ajoelhei do lado dela e levantei seu vestido,beijando aquela bunda linda dela.
- Bem que a gente pode inaugurar esse lugar inteirinho né. - eu falei ainda beijando a bunda dela,ela gemeu baixinho,eu passei a mão por cima da calcinha dela,a minha roberta já está molhadinha pra mim.
- É uma boa ideia. - ela falou empinando a bunda pra mim.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Everytime We Touch' 3 Temp. : Cap.17



   POV DIEGO


   Dei as costas pra Roberta e sai do banheiro,e fiquei parado na frente do banheiro,eu não vou deixar a roberta sozinha,ainda mais por uma briguinha qualquer como essa,depois de um tempo ouço um barulho no banheiro,eu entrei e era a bolsa da Roberta,estava tudo espalhado,e ela juntava as coisas de costas pra mim,eu fiquei observando,ela estava ajoelhado,e quando ela se espichava pra pegar algo que está longe,dava pra ver uma parte da bunda dela,já que a calcinha era fio dental,impressionante como mesmo em uma hora dessas eu penso em sexo.

- Danilo Broogni? - Roberta pensou em voz alta,segurando um cartão,depois eu que sou o errado,esse cara de pau além de dar em cima da Roberta,ainda dá o cartão dele pra ela,esse cara não deve ter medo de morrer mesmo.

   Eu esperei um pouco pra ver o que ela iria fazer,ela guardou o cartão,e estava procurando algo,como ela não achou,ela guardou o resto das coisas dela e se levantou,virando e dando de cara comigo.

- Diego! - ela sorriu inesperadamente,pensei que ela ficaria brava por me ver ali. - Você não foi embora. - ela falou com aquele sorriso lindo.
- Eu nunca iria embora sem você. - eu falei indo até ela e a beijando,ela retribuiu o beijo,passando as mãos pela minha cintura,enquanto eu segurava seu rosto em minhas mãos,terminamos de nos beijar.
- Desculpa pelo que eu disse,você tem razão,eu te conheci assim,eu me apaixonei por você assim,eu te amo assim,bem do jeito que você é - ela falou entre pausas,aquilo soou como música pra mim.

   Eu empurrei ela para dento da cabine do banheiro e fechei a porta,botando roberta em cima do vaso,ela riu,tirando o vestido,eu abri minha calça e tirei meu pau pra fora,ela mordeu os lábios

- Bem do jeito que você é - ela falou apertando meu pau,eu gemi e mordi a boca dela.


   Eu não fiz preliminares,apenas abri as pernas dela e a penetrei com força,eu abafei seu grito com um beijo,eu estocava com força,mesmo eu abafando os gemidos/gritos dela,quem entrasse no banheiro iria ouvir,ouvimos passos entrando no banheiro,era de salto alto,eu sorri,e estoquei mais forte ainda,Roberta gozou,agarrando minhas camisa, eu diminui ritmo,tirando dela devagar e enfiando até o talo,e nesse vai-e-vem,,ela gemia baixinho,apertando os biquinhos dos seios,eu admirava ela,apertando suas pernas,ouvimos mais passos de salto altos,e de cochichos,roberta sorriu,eu estava prestes a gozar,eu estoquei mais fundo nela e um pouquinho mais rápido, roberta mordeu os lábios,e eu gozei dentro dela,gemendo.

-Minha linda - falei tirando meu pau não mais ereto de dentro dela e guardando nas calças. 

   Eu ajudei ela a se vestir,ela arrumou os cabelos e saímos da cabine,tinha duas mulheres lavando as mãos uma morena e outra loira,a loira apenas olhou pra gente e voltou a lavar as mãos,a morena me olhou dos pés á cabeça,com um olhar de cobiça,deve ser mal comida coitada,mas era bonita,eu confesso,Roberta pegou a bolsa do chão e me beijou,saímos do banheiro sorrindo. 


   POV ROBERTA

- Isso foi incrível - falei quando nós saímos do banheiro,Diego riu.
- Nós nunca vamos mudar! - ele afirmou.
- Tomara que não. - falei rindo,foi ótimo ver a cara de inveja daquela mulher no banheiro.
- Vamos comprar alguma coisa pra gente comer, e depois eu te dou seu presente. - ele falou sorrindo.
- Presente?Que presente Diego? - falei enquanto entrávamos na lanchonete.
- É surpresa. - ele disse,nós sentamos em uma mesa.
- Eu quero saber. - falei manhosa,sentamos um de frente pro outro.
- Assim fica sem graça. - ele falou chamando a garçonete com um gesto. - Espera só um pouco,vale a pena - Ele falou me convencendo.
- Fazer o que? - falei cruzando os braços fazendo birra,Diego sorriu.

   A garçonete chegou e anotou nosso pedido,Diego pediu um hambúrguer de carne e uma cerveja,eu pedi um suco natural de pêssego e um sanduíche natural,não sei como Diego consegue comer só fritura,de vez em quando até vai,mas ele come sempre.
   Terminamos de comer,pagamos a conta e saímos da lanchonete.


- Agora vamos,eu vou te levar até o seu presente. - ele falou pegando minha mão.
- Antes Diego,me empresta o teu celular? - falei enquanto caminhávamos.
- Cadê o teu? - ele perguntou.
- É isso que eu quero saber,ele sumiu,eu quero ligar pra ele - Diego me deu o celular e eu disquei meu número,e advinha quem atendeu.

domingo, 29 de julho de 2012

Everytime We touch 3 Temp' Cap.16

Danilo Broogni
       

POV ROBERTA

Diego encarou o Homem que eu nem perguntei o nome, o homem sorriu presunçoso e se levantou.

- Olá,eu sou Albert.- Ele estendeu a mão pro Diego.
- O que você quer com a minha mulher? - Diego perguntou em voz alta.
- Diego ele só veio conversar,sem nenhuma segunda intenção,apenas conversar- Eu falei tentando acalmar o Diego,eu não quero que ele brigue em pleno aeroporto de Paris.
- Isto mesmo,eu vi esta linda Mulher sozinha e não sabia que ela tinha compromisso - que jeito fresco de falar.
- Agora já sabe - Eu falei,Diego descruzou os braços e eu peguei a mão dele. - Vamos Diego - falei puxando Diego,ele me seguiu,eu nem sabia pra onde eu estava levando ele,mas ali que eu não iria ficar,eu ouvi Danilo se despedindo mas não respondi.
- Aonde você está indo Roberta - ele perguntou rindo
- Pra longe daqui - falei com a voz embargada,eu estava prestes a chorar,e eu nem sei porque, Diego parou de caminhar e me virou pra ele,botando as mãos no meu rosto,uma lágrima escapou do meu olho.
- Por que você está chorando? - ele perguntou encostando o nariz dele no meu.
- Você tem ideia do que você acabou de fazer Diego? - falei tirando as mãos dele do meu rosto e me afastando, nós estávamos na frente do banheiro das mulheres,eu entrei e Diego me seguiu fechando a porta. - Depois de todos esses anos juntos,eu pensei que você confiava em mim Diego.
- Do que você ta falando Roberta? É lógico que eu confio em você,você é a única pessoa que eu confio no mundo todo - ele falou acariciando meu rosto.
- Você nunca confiou de verdade Diego,sempre que eu chego perto de algum homem você faz um escândalo - eu desabafei. - Eu não aguento mais isso,a gente não está no tempo das cavernas... - falei olhando pra ele,eu não aguentava mais guardar isso pra mim.
- Você me conheceu assim Roberta, e eu não posso mudar o que eu sou - os olhos dele encheram de lágrimas e ele me deu as costas,saindo do banheiro,eu sentei no chão e desabei em lágrimas.

   Droga,eu não queria brigar com ele,e agora eu o magoei,eu odeio isso.Joguei minha bolsa na parede,ela caiu e minhas coisas se espalharam pelo chão.

- Só o que faltava acontecer mesmo - falei limpando as lágrimas e levantando pra ir juntar aquelas porcarias.

   As coisas estavam espalhadas, eu me ajoelhei,as lágrimas ainda rolavam pelo meu rosto,e pegava as coisas e jogava dentro da bolsa,eu estava irritada e magoada,e essas duas coisas juntas em mim dá em boa coisa. Eu juntei minha carteira  vi que tinha um papel embaixo dela,eu botei a carteira na bolsa e peguei o papel,era um pequeno cartão, do Danilo,ele deve ter botado sem eu perceber,já que minha bolsa estava aberta,eu resolvi ligar pra ele pra saber por que ele fez isso,eu fui pegar meu celular mas ele não estava em lugar nenhum,procurei na minha blsa e no banheiro todo mas ele não estava ali,ninguém merece.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Everutime We Touch' 3 temp.: Cap.15

         POV ROBERTA   Diego estacionou o carro na frente do aeroporto e desceu,vindo abrir a porta pra mim essa fofo.

 -Sempre um cavalheiro-falei saindo do carro,ele me puxou pela cintura,ficando com o rosto colado no meu,ô homem.
-Nem sempre-ele sorriu torto e me beijou.
-Seu bobo-falei me soltando dos braços dele-Agora vamos amor,antes que a gente perca o próximo vôo também-eu falei e ele deu as chaves para o manobrista,acho que é assim que se chama aqui né.-O carro vai ficar no estacionamento do aeroporto?-falei apontando para o carro,Diego revirou os olhos
-Lógico que não né amor,eu peço pra levarem o carro pra casa da floresta depois.


  Entramos no aeroporto,que estava lotado,tinha gente pra tudo que é lado e de todo jeito,tinha gente feliz,irritada conversando ao celular e etc.
 
- O próximo vôo pro Brasil é pra daqui a duas horas- Diego falou.
- Tudo isso-perguntei aborrecida
-Não tem outro jeito da gente ir?Eu quero chegar cedo pra ver a mamãe-Eu falei e Diego abiu um sorriso como se tivesse tido uma idéia.
-Pensando bem tem outro jeito sim,espera um pouco meu amor,que eu já volto-ele falou e sumiu no meio das pessoas que circulavam por ali.    

   Diego ta muito misterioso,só quero ver que ele vai inventar agora,eu sentei em um banco preto que estava vago,era desconfortável mas tudo bem,peguei meu celular e tentei ligar pra Carlinha,mas o celular dela dava desligado,aposto que ela esqueceu de carregar de novo,que droga,eu tava discando o número da Amanda mas alguém cutucou meu ombro.Eu virei para o lado e vi quem me cutucou,era um homem moreno e lindo.

-Ainda bem que você é brasileira,pensei que teria que falar francês,não que eu não goste mas é que não sei falar direito- ele falou rindo,isso era pra ser uma piada?
-Sou sim e você também é brasileiro?- que pergunta foi essa roberta? ele fala português e vai ser o que?Coreano?
-É sou,você está na França pra passeio?- ele perguntou pegando minha mão,que eu logo tirei dele e botei no colo,ele olhou minhas pernas
-Lua de Mel- falei,eu adoro atenção mas a dele eu dispenso.
-Lua de Mel? Você é casada então?- ele falou meio desanimado.
-Sim,ela é casada- Diego falou entredentes e com os braços cruzados na nossa frente,ele tava bravo.

Fofura de Blog'




Oi ,amores vcs viram que lindo o selinho que eu ganhei?Vlw pela consideração Vic,Marcela, Gi, Stephanie e Web |LuAr'

Mai esse selinho tem regras,que tu confere abaixo:

REGRAS:

1-Só quem recebeu o selinho de outro blog pode postá-lo

2 - Se você for postar o selinho, poste também essas 5 regras

3 - Repasse para 8 blogs e avise-os

4 - Blog de origem -> Assunto de Garota

5 - Dizer quem te mandou e colocar o link: Vic' Marcella Victória ; Giovanna ; Stephanie ; WebLuAr '

Eu devo escolher 8 blogs que eu cosidero para repassar e eles são:


 Own,peninha que só posso repassar pra 8 de tantos blogs que eu AMOmas vlw mesmo assim,o seelinho ,e muito fofuxo 


terça-feira, 26 de junho de 2012

[FIC] Everytime We Touch' 3 temp. : Cap.14

     POV DIEGO 

  Chegamos na casa, com a Roberta um pouco abalada, deixamos as malas em um canto e a Roberta foi tomar um banho.

- Você não vem? - ela perguntou pegando o roupão e uma roupa da mala.  
- Tô indo. - ela me deu um selinho e se foi.


   Peguei meu celular e liguei para a companhia aérea,e uma mulher com voz esganiçada me atendeu, reservei duas passagens na primeira classe, pra um vôo daqui a duas horas,eu desliguei, peguei uma roupa pra mim e fui tomar banho com a roberta.
   Ela não estava na banheira, ela estava no chuveiro de um dos quartos de hóspedes, eu tirei a roupa e entrei no banheiro que estava tomado pelo vapor da água quente, A Roberta estava de olhos fechados passando as mãos no pescoço,ela não percebeu eu entrando no banheiro, eu entrei no box e senti a água escaldante escorrer pelo meu corpo, eu abracei ela por trás e beijei seu pescoço,ela suspirou e se virou,abraçando minha cintura e deitando a cabeça no meu peito.


- Não fica assim amor. - falei passando as mãos no cabelo dela. - ela vai ficar bem.
- E se não ficar Diego? - ela falou com a voz falhada, falou soluçando, ela estava sofrendo.
- Você não vai perder ninguém. - falei levantando o rosto dela e a beijando.


   Tomamos banho e saímos do chuveiro,o que foi meio difícil pois aquela água estava muito boa, mas tínhamos que pegar o avião, então fomos pro quarto nos vestir, eu botei uma calça jeans, a minha camisa branca e uma jaqueta de couro preta por cima, a Roberta botou um vestido branco de renda com um bolerinho preto por cima, e um sapato preto de salto alto.

- Amor vamos? - falei pegando as chaves do carro.
- To quase pronta. - falando escovando os cabelos.

   Eu botei as malas no carro, e peguei a chave do meu bolso, que a Roberta tinha enchido de chaveiros, eu abri a porta do carro e entrei, ligando o carro, pelo retrovisor, vi a Roberta saindo de casa e chaveando a porta, guardando as chaves na bolsinha preta dela, e meio que correu vindo pro carro, acho que ela pesou que eu ia deixar ela pra trás, hehe.

- Agora eu to pronta amor!-falou fechando a porta do carro e colocando o cinto.-Não vai botar o cinto?-ela perguntou me olhando, e eu botei o cinto.

   Diferente a vinda pra cá, a nossa viagem de vota foi silenciosa, Roberta não ligou o rádio, nem botou um dos CDs favoritos dela pra tocar, ficou calada, era como se não estivesse ali, seus olhos estavam vazios, fitando o nada.

- Está bem amor? - perguntei pegando a mão pequeninha dela.
- Sim, sim, estou bem. - falou despertando de seus pensamentos e apertando minha mão. - Que horas são?
- Oração é só na igreja. - brinquei, fazendo ela dar um pequeno sorriso.
- Sério Diego.
- Ta bom,ta bom. - falei erguendo o braço para olhar a hora.

   Puta merda, eram 3:45 e o avião parte as 4:00, eu não estava muito longe do Aeroporto,eu informei a hora pra Roberta e acelerei, mas não conseguimos chegar a tempo, pois quando eu estava estacionando já era 4:20, e pra minha baita sorte o avião não atrasou hoje.